TERÇA A DOMINGO
10H // 13H — 14H // 18H
ENCERRA SEGUNDA
ENTRADA GERAL: 2€
Domingo e Feriados 10h-13h: entrada gratuita
SUBSCREVER NEWSLETTER
subscrição bem sucedida
Todos os direitos reservados
© AMJP . 2016  /  ficha técnica

Prémio ATELIER-MUSEU JÚLIO POMAR - EGEAC

(ver 2ª Edição)
(ver 1ªedição da residência artística) (ver 2ªedição da residência artística) (ver 3ªedição da residência artística)
 

A curadora Maria do Mar Fazenda foi a escolha vencedora da 1ª Edição do PRÉMIO ATELIER-MUSEU JÚLIO POMAR / EGEAC 2015 :

O júri, composto por Ângela Ferreira, Miguel von Hafe Pérez e Sara Antónia Matos, decidiu, por unanimidade, atribuir a primeira edição do Prémio Atelier-Museu Júlio Pomar/EGEAC 2015 a Maria do Mar Fazenda, que foi fundamentada nos seguintes termos:

O Júri sublinha a consistência conceptual do projecto de curadoria que se propõe analisar o próprio conceito de museu, numa perspetiva crítica e aberta à interpretação. Para tal, a curadora faz uma selecção consciente de artistas que incorporam no seu percurso pessoal um trabalho de investigação na área. O projecto assume-se como uma entidade processual aberta à discussão pública que toma como ponto de referência a entrevista a Júlio Pomar, por Helena Vaz da Silva, da qual se extrai o título poético que dá nome à exposição: “- já reparaste como o ponto de interrogação parece uma orelha, e como a interrogação se faz escuta?”.

A apreciação do Júri teve ainda em conta: a exequibilidade do projecto, que se traduz no modo realista como a curadora vai fazer uso do espaço expositivo do Atelier-Museu e adequá-lo às obras; o trabalho integrado entre curadores, artistas e instituições; e o sólido percurso teórico e curatorial da proponente.

Para mais informações, descarregar o Press Release

Composição do Júri

© luísa ferreira / 2013

Sara Antónia Matos
directora do Atelier-Museu Júlio Pomar e curadora

Formada em Escultura pela Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa e Mestre em Estudos Curatoriais, realizou o Doutoramento (2007-2012) com a tese: “Da Escultura à Espacialidade”. Tem colaborado com diversas instituições ligadas à arte, editou livros e ensaios publicados em catálogos e revistas internacionais. Desenvolve a sua actividade entre o ensino, a prática artística.

Ângela Ferreira
artista plástica e professora da FBAUL

Ângela Ferreira Ângela Ferreira nasceu em 1958 em Maputo, Moçambique. Concluiu os estudos de Artes Plásticas na África do Sul obtendo o grau de Mestre na Michaelis School of Fine Art, University of Cape Town. Atualmente vive e trabalha em Lisboa, ensina na Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa. O trabalho de Ângela Ferreira desenvolve-se em torno do impacto do colonialismo e pós-colonialismo na sociedade contemporânea, estas investigações são guiadas por uma pesquisa profunda e pelo filtrar de ideias que conduzem a formas concisas, depuradas e evocativas. Representou Portugal na 52ª Biennale de Veneza em 2007, onde continuou as suas investigações sobre a forma como o modernismo Europeu se adaptou, ou não, às realidades do continente Africano, traçando a história da “Maison Tropicale” de Jean Prouvé. Dos seus trabalhos recentes destacam-se: “For Mozambique”, 2008; “Cape Sonnets”, 2010/12; “Collapsing Structures/ Talking Buildings”, 2012; “Political Cameras”, 2012; “Stone Free”, 2012; “Mount Mabu”, 2013; “Entrer Dans la Mine”, 2013, “Indépendance Cha Cha”, 2014; “SAAL Brigades”, 2014 e “Revolutionary Traces”, 2014.

Miguel von Hafe Pérez
Crítico de arte e comissário de exposições

Miguel von Hafe Pérez é crítico de arte e comissário de exposições. Foi responsável pela área de Artes Plásticas e Arquitectura da Porto 2001, Capital Europeia da Cultura. Entre 2003 e 2005 foi comissário convidado no Centre d’Art Santa Mònica em Barcelona. Foi responsável pelo projecto www.anamnese.pt da Fundação Ilídio Pinho. Foi director do Centro Galego de Arte Contemporánea (CGAC) de Santiago de Compostela, (2009-2015). Actualmente prepara uma antologia de textos críticos de Fernando Pernes para a Fundação de Serralves e a exposição “a sul de hoje – arte portuguesa contemporânea (sem Portugal)” para a Fondation Gulbenkian, Paris.

CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO (descarregar pdf)

1. Enquadramento:

O Prémio Atelier-Museu Júlio Pomar, atribuído a partir de uma Open Call /Chamada de Trabalhos, distingue um projecto de curadoria de arte contemporânea, envolvendo três vertentes em simultâneo: a produção artística, a produção crítica ou ensaística e a prática curatorial.

Os projectos, admitidos no âmbito das presentes condições, deverão assumir o formato de uma exposição – individual ou colectiva – a concretizar no espaço do Atelier-Museu Júlio Pomar, durante um mês, produzida e financeiramente suportada pela instituição. No âmbito deste projecto, será editada uma publicação, integrada na colecção Cadernos do Atelier-Museu Júlio Pomar, com coordenação editorial conjunta da direcção do Atelier-Museu Júlio Pomar e do curador ou equipa curatorial vencedora.

Procurando juntar curadores, artistas e instituições, num momento em que a maioria dos prémios atribuídos em território português, para o domínio das artes, são vocacionados e directamente dirigidos a artistas, o Prémio de Curadoria Atelier-Museu Júlio Pomar pretende fomentar o exercício no campo da curadoria de arte contemporânea, a produção de fortuna crítica e a concretização editorial.

2. Destinatários:

Serão admitidos a participar cidadãos de nacionalidade portuguesa e estrangeiros residentes em Portugal. Os participantes podem apresentar-se individualmente ou em grupo.

Apenas podem participar curadores ou equipas curatoriais que já tenham comissariado, no mínimo, uma exposição. Os participantes não são obrigados a ter formação específica em curadoria.

Antes de submeter a sua candidactura, os proponentes deverão visitar o Atelier-Museu Júlio Pomar para conhecerem as características e possibilidades do espaço. Os interessados poderão visitar o espaço livremente ou requerer uma visita acompanhada por um técnico do Atelier-Museu, através do endereço: producao.atmjp@gmail.com.

3. Prazo e modo de envio da candidatura:

As candidaturas só podem ser apresentadas até às 18h00, do dia 30 de Setembro de 2015, sob pena de exclusão.

Os processos de candidatura podem ser entregues em mão ou enviados via CTT, registado com aviso de recepção, para o Atelier-Museu Júlio Pomar, Rua do Vale, n.º 7, 1200-472 Lisboa. Em caso de envio via CTT considera-se a data de carimbo dos correios.

O Atelier-Museu Júlio Pomar não assume qualquer responsabilidade pelas candidaturas que não estejam em perfeitas condições ou que se venham a extraviar por razões alheias.

4. Documentos que compõem o processo de candidatura:

Os participantes deverão entregar 3 (três) exemplares (cópias) dos seguintes documentos:

- Curriculum Vitae, que deve identificar o contacto de correio electrónico;
- Cópia do Cartão de Cidadão/Bilhete de Identidade/Passaporte;
- Carta de recomendação escrita e assinada por um reconhecido profissional do meio (facultativo);
- Portfólio, em papel ou CD, do trabalho desenvolvido no âmbito da curadoria;
- Cópia de um texto escrito e publicado;
- Memória descritiva do projecto expositivo a realizar:

a) texto de apresentação, em português, até um máximo de 5.000 caracteres, fundamentando o projecto curatorial;
b) ficha técnica do projecto, indicando pormenores relativos à produção da exposição, os artistas envolvidos e qualquer outra informação que permita compreender a sua exequibilidade;
c) imagens de obras, ou informação que permita compreender a natureza e a quantidade de obras a expor.

O projecto expositivo a realizar deverá ser inédito e nunca submetido previamente à apreciação de Júris, parcial ou integralmente.

As candidaturas que não cumpram alguma das condições aqui descritas serão excluídas.

5. Júri :

O Atelier-Museu Júlio Pomar procederá à formação e composição do Júri.

O Júri, presidido pela directora do Atelier-Museu Júlio Pomar, Sara Antónia Matos, será formado por mais duas personalidades de renome do campo da crítica, da curadoria ou da arte contemporânea, a anunciar oportunamente.

A decisão do Júri é soberana e solidária, não sendo admitido recurso ou reclamação da mesma.

Das reuniões do júri será lavrada acta, que ficará em depósito no Atelier-Museu Júlio Pomar.

6. Selecção:

Das candidaturas apresentadas, o Júri selecionará apenas uma, cujo(s) autore(s) beneficiará(ão) de um prémio nos termos previstos no ponto 7. infra.

No processo de selecção serão consideradas pelo Júri as seguintes valências dos projectos expositivos apresentados:

a) o trabalho integrado entre artistas e curadores na concretização do projecto, incluindo a vertente editorial;
b) exequibilidade do projecto, tendo em conta as características e condições físicas do Atelier-Museu Júlio Pomar;
c) originalidade e pertinência do projecto no contexto das práticas artísticas contemporâneas.

No âmbito do processo de selecção, o Júri poderá solicitar informações e documentos adicionais que considere necessários à melhor compreensão dos projectos apresentados.

7. Prémio:

O projecto selecionado pelo Júri será concretizado nos seguintes termos:

a) Apresentação pública do projecto no Atelier-Museu Júlio Pomar, durante um mês, no primeiro trimestre de 2016;
b) Produção do projecto pelo Atelier-Museu Júlio Pomar mediante a assunção das seguintes responsabilidades na sua concretização:

- transporte de obras (em território nacional);
- seguro de obras;
- montagens e desmontagens necessárias;
- promoção e divulgação;
- edição de um Caderno Atelier-Museu Júlio Pomar, conforme as regras editoriais definidas previamente pelo Museu para as suas publicações;
- fotografias de exposição;
- assunção de custos, até ao montante máximo de € 4.000,00 (quatro mil euros), com a produção de novas obras.

c) Para além da concretização do projecto nos termos acima enunciados, será atribuído ao curador ou equipa curatorial premiada, um prémio financeiro no montante de € 3.000,00 (três mil euros).

A concretização aqui prevista importa a assunção pelo curador das seguintes responsabilidades:

- investigação necessária ao projecto;
- redacção de um texto para o caderno do Atelier-Museu Júlio Pomar;
- acompanhamento de todos os trabalhos inerentes à realização do projecto/exposição, inclusive montagem e desmontagem de exposição;
- articulação com o(s) artista(s ) envolvido(s);
- disponibilidade para acções de divulgação da exposição junto da imprensa e de visitantes do Atelier-Museu Júlio Pomar (uma visita guiada ao Serviço educativo do AMJP; uma visita para visitantes do AMJP).

8. Utilização de imagens e textos:

O/s autor/es do projecto selecionado cede/m os direitos de reprodução das imagens e dos textos que forem apresentados no âmbito da participação neste procedimento, tanto para o catálogo como para a divulgação do projecto, nomeadamente através de formatos para publicidade do Atelier-Museu Júlio Pomar e na internet.

Qualquer outra utilização será objecto de acordo entre o Atelier-Museu Júlio Pomar e o/s autor/es.

9. Divulgação do resultado final:

O resultado final será divulgado até ao final do ano de 2015, no site do Atelier-Museu Júlio Pomar e através de outros meios que se considerem adequados.

Para além da divulgação referida, os participantes serão ainda informados do resultado final através do endereço de correio electrónico indicado no curriculum vitae apresentado.

10. Alterações às condições de participação:

Qualquer alteração às presentes condições de participação será comunicada através dos mesmos meios utilizados para a sua divulgação.

11. Levantamento das candidaturas não seleccionadas:

As candidaturas e os materiais entregues que não sejam seleccionados pelo Júri não podem ser levantados pelos respectivos participantes.

12. Dúvidas e situações omissas:

Quaisquer dúvidas de interpretação das presentes condições de participação ou quaisquer situações consideradas omissas nas mesmas, devem ser remetidas para o seguinte endereço de correio eletrónico producao.atmjp@gmail.com.